Análise Caeni, n. 3, maio 2020

O Centro de Estudos das Negociações Internacionais continua com suas atividades de pesquisa e divulgação. Temos realizados eventos abertos regulares e também seminários de pesquisa, discutindo papers e projetos de pesquisa, além de discussões que dão subsídios para a reflexão conjunta sobre o atual momento e seus desdobramentos, sobretudo do ponto de vista internacional.

Esta edição, dedicada à política externa brasileira, traz três contribuições importantes de
pesquisadoras do Caeni, que discutem o tema a partir de diferentes perspectivas: da educação, da burocracia, e da integração regional.

O primeiro artigo, da pesquisadora Gabriela Ferreira, cuja pesquisa defendida no marco da dupla titulação IRI-USP e King’s College London, faz uma extensa análise dos programas estudante convênio (PEC), com a aplicação do survey com vários alunos estrangeiros, beneficiados pelo governo brasileiro. Neste momento de pandemia, nada mais acertado do que pensar os rumos da educação: “A criação de parcerias entre universidades, institutos de pesquisa e laboratórios privados, frequentemente intermediada pelos governos nacionais, está entre as estratégias mais adotadas para garantir o sucesso em qualquer das áreas de combate à pandemia e seus efeitos”. Mas, ao analisar o caso brasileiro, percebemos que ainda falta uma alta dose de investimento, no que a pesquisadora denomina “diplomacia da educação” que pode contribuir como um forte instrumento para a elaboração de uma política externa eficiente.

O segundo artigo, que faz uma excelente apresentação do seminário ministrado por Dawisson Belém Lopes, no DCP-USP, foi preparado pela pesquisadora Tamiris Burin, e destaca como o papel do Itamaraty vem sendo questionado, observando o papel de tomadores de decisão que manipulam e alteram regras institucionais na formulação coletiva de políticas. A pesquisadora chama atenção para o fato de que “um dos legados do período atual estará em avaliar de fato o lugar dos serviços diplomáticos e de seus efeitos estabilizantes dentre o adensamento de sistemas poliárquicos”. Tamiris tem dedicado sua pesquisa de mestrado ao estudo Presidência e perfis de liderança em análise de política externa brasileira.

A terceira contribuição desta edição do Análise Caeni é assinada por Flavia Loss de Araujo, e apresenta as ideias do Professor Camilo Lopez Burián, da Universidad de la República, do Uruguai, que participou como conferencista no webinar do Caeni, discutindo os desafios das democracias desenvolvidas frente a discursos populistas carregados de elementos nacionalistas, tradicionalistas, soberanistas e antielitistas, opondo-se aos princípios científicos. A pesquisadora conclui seu artigo, destacando que a discussão de responsabilidade de cada uma das esferas são tópicos em disputa na política internacional contemporânea. E “a capacidade de resposta das organizações internacionais frente à pandemia e a narrativa que será criada pelas forças políticas que as defendem podem ser fatores decisivos para sua sobrevivência no futuro”.

Amâncio Jorge de Oliveira
Coordenador Científico

Análise Caeni, n. 3, maio 2020 – download

Veja também